Secretaria de Serviços Públicos aperta o cerco contra o Aedes aegypti

Para combater o mosquito da dengue, a Secretaria de Serviços Públicos tem, além de uma fiscalização permanente no município, intensificado o trabalho nos terrenos particulares com mato alto e sujeira. Após a recente sanção de uma lei do saudoso vereador Antônio Carlos Pereira Neto (Doca), agora, quando as equipes do Centro de Controle de Zoonoses, da Secretaria de Saúde, identificam criadouro de mosquito Aedes aegypti nessas áreas, o prazo para a limpeza, que seria de 10 dias, cai para apenas 3 dias (72 horas).

“O problema do terreno vazio é que quem sofre são os vizinhos do entorno. Então cabe à Prefeitura forçar esse proprietário a realizar a limpeza. Se ele não o fizer, a Prefeitura faz, cobra o serviço realizado e aplica uma multa”, explica o secretário de Serviços Públicos, Aguinaldo Leite.

Prefeitura intensificou corte de mato e reduziu prazo para terrenos com foco de dengue

Prefeitura intensificou corte de mato e reduziu prazo para terrenos com foco de dengue

Ele frisa que o rigor não é apenas para áreas particulares. “A ideia vale também para terrenos públicos. Temos feito a manutenção e somos rigorosos com relação a isso.”

Segundo ele, desde dezembro de 2015 até o final de fevereiro, mais de 3 mil proprietários de terrenos foram notificados para realizar limpeza dos terrenos. “Temos recebido um bom retorno da população. As pessoas têm se prontificado a manter as áreas limpas. Muitas vezes demoram, mas fazem.”

Aguinaldo salienta ainda que o mato alto traz à população a ideia errada de criadouros do mosquito. “É importante destacar que o mato não gera focos. O que causa isso é o descarte irregular de entulho e outros resíduos nesses terrenos. Por isso, pedimos à população a colaboração para que não descarte entulho em áreas irregulares.”

O secretário frisa que a cidade conta com cerca de 2 milhões de metros quadrados de áreas que precisam ser mantidas no município. “O mato cresce rápido por conta da chuva e sol nesse período. Estamos trabalhando intensamente para manter o município em ordem.”

Quando não há focos no terreno, o prazo para a limpeza é de dez dias. Caso o proprietário não realize o serviço, ele é multado em R$ 1 por metro quadrado.

Segundo o secretário, a população pode ajudar na fiscalização dos terrenos sujos e de descarte de entulho na cidade. As denúncias podem ser feitas por meio do 156, o canal de comunicação entre a Prefeitura e os munícipes.

Luana Dias
Foto: Alessandro Rosman


Publicada em 18/03/2016

UVZ Unidade de Vigilância de Zoonoses Jundiaí
Prefeitura de Jundiaí Avenida da Liberdade, s/nº - Jardim Botânico - CEP 13214-900 - Telefone: (11) 4589-8400
Combate ao Aedes | Desenvolvido por CIJUN