Campanha de combate ao ‘Aedes’ visita 8 mil imóveis

Os pratos de vaso de plantas continuam sendo os maiores vilões na proliferação do Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika vírus e febre chikungunya. Mais uma vez esse foi o tipo de criadouro com maior incidência nos imóveis visitados na semana passada durante a Campanha de Combate ao Aedes, ação da Prefeitura em parceria com o 12º Grupo de Artilharia e Campanha (GAC).

CONFIRA AS FOTOS DA CAMPANHA

De acordo com balanço da Unidade de Vigilância de Zoonoses, que coordenou a ação, ao todo foram visitados 8 mil imóveis, em 27 bairros diferentes. “Tivemos de concluir o trabalho uma hora antes do previsto, devido à forte chuva em algumas regiões da cidade. Mesmo assim, atingimos a meta”, diz a coordenadora do Programa de Controle e Prevenção do Aedes aegypti, Ana Lúcia Castro.

Várias amostras foram coletadas para exames

Várias amostras foram coletadas para exames

Durante as visitas, foram coletadas 57 amostras de larvas em recipientes com água parada. E 90% das amostras eram de larvas do Aedes aegypti. “Apesar de não ser um número muito alto de amostras, encontramos larvas em quase todos os bairros visitados. Isso mostra que o mosquito está em várias partes da cidade. Por isso, não podemos descuidar”, reforça Ana Lúcia.

CONFIRA AS FOTOS DO DIA NACIONAL DE COMBATE AO AEDES

Outros criadouros encontrados que chamaram a atenção das equipes da Unidade de Vigilância de Zoonoses, da Secretaria de Saúde, foram vasos sanitários e bromélias. Os agentes e soldados também coletaram amostras com larvas do mosquito em regador, tanque, pneu, piscina, lona, lata, descartáveis, balde, bebedouro de cão e outros.

“Em banheiros de pouco uso, por exemplo, a orientação é para que as pessoas deixem a tampa do vaso sanitário fechada. Já com as bromélias, se for em vaso, é preciso tirar a água todos os dias. Se for plantada no chão, deve-se usar cloro a cada três dias, na medida de uma colher de sopa para um litro de água. É muito importante que a população continue cuidando para eliminar os criadouros”, orienta Ana Lúcia.

Niza Souza
Foto: Cleber de Almeida


Publicada em 16/02/2016

UVZ Unidade de Vigilância de Zoonoses Jundiaí
Prefeitura de Jundiaí Avenida da Liberdade, s/nº - Jardim Botânico - CEP 13214-900 - Telefone: (11) 4589-8400
Combate ao Aedes | Desenvolvido por CIJUN