Saúde intensifica notificação em imóveis com focos de Aedes aegypti

Agentes participaram de treinamento nesta terça-feira (5)

Agentes participaram de treinamento nesta terça-feira (5)

A Secretaria de Saúde continua intensificando as ações de prevenção e combate na cidade ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, febre chikungunya e zika vírus. Nesta terça-feira (5), a equipe de agentes do Centro de Vigilância e Controle de Zoonoses participou de um treinamento para atualização do procedimento de notificação em caso de situações de risco.

A notificação é ferramenta importante no controle do Aedes aegypti e dá início ao processo legal em casos de locais onde há criadouros do mosquito da dengue e que ofereçam risco à saúde da população.

“A notificação era aplicada normalmente em imóveis comerciais, principalmente nas visitas a imóveis especiais e pontos estratégicos, como ferro velho e borracharia. Mas, no cenário atual de transmissão, a orientação é notificar também proprietário de imóveis residenciais nos casos necessários”, destaca a coordenadora do programa de Controle e Prevenção do Vetor Transmissor da Dengue, Ana Lúcia Castro.

O agente de fiscalização de posturas, Rafael Irineu Castelli, explica que o objetivo da notificação é a adequação do ambiente, com eliminação dos possíveis criadouros e focos do mosquito da dengue. Segundo ele, a Zoonoses intensificou o uso dessa ferramenta no ano passado. “Tivemos resultados positivos, por isso estamos ampliando essa ação neste ano”, frisou o agente, lembrando que Jundiaí adota o Código Sanitário do Estado de São Paulo.

Em caso de notificação, o proprietário tem um prazo para adequar o local, conforme as orientações e indicações do agente. Após esse prazo, a equipe de Zoonoses faz uma nova visita. Se o problema não for resolvido, o proprietário é autuado. A penalidade vai desde advertência até intervenção, incluindo multa que varia de 10 a 10 mil Ufesps (Unidade Fiscal do Estado de São Paulo), dependendo do risco e do momento epidemiológico no município. O valor da Ufesp hoje é de R$ 23,55.

Em 2015, o Centro de Zoonoses aplicou mais de 30 notificações e 22 autos de infração, 80% dos casos foram multados.

Algumas dicas para eliminar criadouros:

  • Guarde pneus em locais secos e cobertos;
  • Mantenha o lixo tampado;
  • Guarde garrafas vazias de boca para baixo;
  • Tampe as caixas d’água;
  • Armazene adequadamente os materiais recicláveis
  • Tampe os ralos;
  • Limpe os terrenos;
  • Não use pratos nos vasos de plantas;

Principais sintomas:

  • Febre alta;
  • Dor de cabeça;
  • Dor no fundo dos olhos;
  • Falta de apetite;
  • Dores nas articulações;
  • Fraqueza;
  • Manchas pelo corpo;
  • Dores intensas nas articulações com edema (no caso da chikungunya);
  • Coceira (no caso do zika).

Niza Souza
Foto: Alessandro Rosman


Publicada em 05/01/2016

UVZ Unidade de Vigilância de Zoonoses Jundiaí
Prefeitura de Jundiaí Avenida da Liberdade, s/nº - Jardim Botânico - CEP 13214-900 - Telefone: (11) 4589-8400
Combate ao Aedes | Desenvolvido por CIJUN